em Economia, Imobiliária - Tempo de leitura: 3 minutos

Vem se aproximando o prazo máximo para o envio da declaração do imposto de renda 2019 à Receita Federal.

E, se você possui casa ou apartamento próprio e recebeu mais de R$ 28.559,70 ao longo de 2018, deve aprender exatamente como fazer a declaração do imposto de renda de imóvel. Afinal, ninguém quer cair na malha fina, não é mesmo?

Por isso, neste post vamos explicar passo a passo sobre como declarar seu imóvel, seja ele quitado, financiado e também nos casos onde houve alteração no valor total do imóvel com as reformas. Vamos aprender?

 

Quem precisa declarar imposto de renda de imóvel?

Bom, há duas situações onde são necessárias a declaração do imposto de renda de imóvel. Elas valem para propriedades residenciais ou comerciais, localizadas em áreas urbanas ou rurais. São dois casos:

Caso 1:

Se você teve renda superior aos R$ 28.559,70 em 2018, precisa declarar seu imposto de renda e incluir seu imóvel, independentemente do valor dele;

Caso 2:

Se você possui bens (imóveis, veículos e direitos) que ultrapassem o valor de R$ 300.000, mesmo que seus rendimentos anuais não tenham chegado ao mínimo estipulado pela receita federal.

 

Passo a passo para declarar o imposto de renda de imóvel

Pronto, caso você tenha se encaixado em um dos dois critérios que mencionamos, saiba que é preciso reunir algumas informações sobre a sua propriedade como valor do imóvel, localização data da compra, área total e o Registro Geral de Imóveis.

Logomarca da Receita federal.

O primeiro passo é fazer o download do programa da Receita Federal por meio do site do órgão, instalá-lo e preencher as informações até chegar a aba de Bens e Direitos.

Nesta etapa, você deve inserir os dados dos seus imóveis quitados, imóveis financiados e para casos de reformas.

Mas não se preocupe! Faremos o passo a passo para três casos. Veja só:  

Imóveis quitados

1º passo

Escolha o código que corresponda ao imóvel que você possui: se é casa, terreno, imóvel rural, sala, etc.

2º passo

Depois insira a localização. Feito isso, o sistema pedirá o número da inscrição municipal, ou seja, IPTU (opcional); bem como a data de aquisição.

Lembre-se de que, se você já declarou o imóvel no exercício anterior, não é necessário incluí-lo novamente. Basta repetir a informação da declaração passada, incluindo o valor da compra, que não deve ser atualizado com base no preço de mercado.

3º passo

Feito isso, é hora de discriminar as informações sobre o imóvel. Informe o valor total, dados do vendedor, como nome e CPF, a forma de pagamento, e se usou FGTS.

Caso use o FGTS, é imprescindível informar à Receita o ganho da indenização na aba de Rendimentos Isentos e Não Tributáveis.

4º passo

Siga preenchendo os campos de área do imóvel; a matrícula e o número de matrícula do imóvel — estes duas informações são opcionais.

5º passo

No campo da situação em 31/12/2017, coloque zero pois você não tinha adquirido o imóvel. No campo da situação em 21/12/2018, insira o valor pago pela propriedade.

Imóveis financiados

 

Pessoa realizando o os cálculos de um financiamento imobiliário.

 

1º passo

Repita as etapas de preenchimento até o passo 3. Ao chegar no campo discriminação, descreva a situação de compra.

Por exemplo: sala comercial adquirida pelo valor total de R$ 400.000 com entrada de R$ 150.000 e o restante financiado em 300 meses pela Caixa Econômica Federal, no valor de 900 reais por mês.

Especifique com detalhes a forma de pagamento, incluindo as taxas de juros.

Lembre-se de que se possui um imóvel em processo de financiamento, não precisa lançar o valor devido na seção de dívida e ônus.

 

2º passo

Preencha as informações sobre a área do imóvel e registro no cartório. Logo em seguida, informe a situação nos anos anteriores.

No ano vigente, o qual se refere a declaração do imposto de renda de imóvel (Situação em 31/12/2018), acrescente ao valor pago de entrada, o valor que foi quitado ao longo de 2018.

Exemplo: R$ 150.000 + 12x 900 reais = R$ 160.800

 

Imóveis reformados

 

Homem trabalhando na reforma de um apartamento.

Se você já tinha uma propriedade nos anos anteriores e realizou construções ou reformas, é preciso somar esses valores na declaração de imposto de renda de imóvel.

Escolha o código 17 – Benfeitorias na tela de declaração. No momento da discriminação, informe a realização da obra. Forneça o máximo de informações. Para atualizar o valor, é preciso comprovar os gastos. Portanto, guarde as notas fiscais e recibos referentes à reforma por até cinco anos.

Outra possibilidade é acrescentar o valor da reforma ao campo de situação de imóvel no ano vigente, incluindo ao valor total a quantia gasta nas melhorias da propriedade.

Viu só? Fazer a declaração do imposto de renda de imóvel não é tarefa tão difícil. É preciso somente de informação e muita atenção para preenchimento dos dados.

E, então, gostou do nosso conteúdo? Quem sabe alguém também não está precisando dessas informações?

Compartilhe agora mesmo com seus amigos nas redes sociais!

Comentários
Posts Recentes
OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO?
Bons negócios começam com uma boa conversa. O que você procura?
RESIDENCIALCOMERCIALINVESTIR

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

Pessoa pensando se compra casa ou terreno.